skip to Main Content

CODEM APRESENTA CONSULTOR À REGIÃO METROPOLITANA

Prefeitos criam comissão para trabalhar Região Metropolitana

Prefeitos da Região Metropolitana de Maringá (RMM) definiram nesta sexta-feira (5), junto com o Codem e a Coordenadoria da Região Metropolitana de Maringá (Comem), a comissão que vai levar ao Governo do Estado o projeto do desenvolvimento integrado da região. Participaram da reunião o coordenador do Comem, João Carvalho Pinto, o presidente do Codem, Luiz Fernando Ferraz, o presidente da Amusep, Fernando Brambila, prefeito de Santa Fé, e o vice-presidente da AMP, Cylenio Pessoa Pereira, prefeito de Mandaguari.
O prefeito Silvio Barros lembrou que a Região Metropolitana de Maringá está instituída legalmente, mas não tem projetos contemplados no orçamento. “Para isso precisamos trabalhar juntos, com projetos de interesse regional e estadual”, lembrou o prefeito citando a disposição da Câmara Técnica da Região Metropolitana do Codem em auxiliar nesse trabalho.
Segundo Silvio Barros, além das ações já realizadas, o Codem produziu também o estudo para o projeto Maringá 2030, que planeja o desenvolvimento do município para os próximos anos. “Precisamos chegar no Governo do Estado com projetos e concluímos que o Maringá 2030 pode ser a base para os planos de desenvolvimento regional”, explicou.
A secretária executiva do Codem, Márcia Santini, apresentou as ações do conselho para a RMM, entre elas a criação da logomarca, a unificação das tarifas telefônicas e projetos como o trem de passageiros, integração do transporte coletivo, o contorno de Mandaguari e o estudo para a destinação dos resíduos sólidos. “Avançamos também em projetos como a implantação do Instituto Federal de Educação e o de piscicultura”, enumerou.
O coordenador da Comem,  João Carvalho Pinto, agradeceu o apoio que vem recebendo das demais entidades. A Coordenadoria da Região Metropolitana de Maringá, lembrou, tem a menor estrutura entre as quatro entidades existentes no estado, em contrapartida tem os estudos e projetos mais adiantados para promover o desenvolvimento regional.
O presidente do Codem, Luiz Fernando Ferraz, explicou que o projeto Maringá 2030 foi definido em cima do Maringá 2020, cujas metas foram alcançadas já em 2007. “Elaboramos um plano para os próximos 20 anos e chegamos à conclusão da necessidade de incluir a região metropolitana no projeto de desenvolvimento”, afirmou.
O prefeito Silvio Barros lembrou que vários países desenvolvidos possuem recursos para a elaboração de projetos urbanos, sem burocracia, que buscam beneficiar empresas desses países. “Não significa que apenas as empresas desses países podem participar, mas vão concorrer em licitações e se vencerem ajudam o governo a manter esse fundo”, explicou.
O presidente da Amusep, Fernando Brambila, aprovou a ideia dos municípios da Região Metropolitana trabalharem em conjunto para colocar os projetos regionais em prática. “Sabemos que o caminho é esse, com os municípios atuando de forma conjunta e profissional”, disse.
Para o vice-presidente da AMP, Cylenio Pessoa Pereira, a união dos municípios da região já trouxe benefícios. “O contorno de Mandaguari, que vai beneficiar toda a região, é um exemplo disso”, afirmou, lembrando que Maringá é um nome forte para levar os planos adiante.

Fonte: Assessoria PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top