skip to Main Content

TENDÊNCIAS DE CONSUMO NO BRASIL

CODEM e parceiros realizam palestra sobre tendências de consumo

Estudantes, empresários e empreendedores maringaenses e da região participaram nesta terça-feira, dia 15, da palestra Tendências de Consumo no Brasil e no seu Negócio, do consultor Gláucio Neves no Teatro Marista. O evento contou com a presença do vice-prefeito Roberto Pupin, representantes da sociedade civil organizada, secretários municipais e demais autoridades.

Gláucio Neves que é consultor de organizações como Petrobrás e Inmetro, apontou projeções para o cenário mundial e nacional nos próximos anos e como irão influenciar as relações de consumo para o mercado paranaense e de  Maringá.

O vice-prefeito Roberto Pupin agradeceu os realizadores e apoiadores do evento e destacou que os participantes da palestra terão importantes informações que poderão direcioná-los a caminhos na busca de maior sucesso em seus negócios.

Tendências mundiais

Dentro das tendências mundiais, Neves apresentou como um grande fator no cenário econômico, o aumento de produção das mercadorias, a queda dos preços e ampliação da densidade tecnológica de produtos.

“O produto chinês é diferenciado devido a sua tecnologia aliada a baixos preços, o que torna extremamente competitivo” avaliou Neves lembrando que o crescimento vertiginoso de consumo da classe média em países como a China, Índia e o próprio Brasil, fazem parte também dessa perspectiva.

Ainda no panorama mundial, Neves destacou a intensificação da globalização, lembrando que produtos como o iPad, desde o início até o final da produção passam por diversos países (Estados Unidos, Coréia do Sul, China e Hong Kong) e que áreas como biotecnologia, nanotecnologia e tecnologia da informação são o grande potencial do futuro de multinacionais, ocorrendo a diversificação na matriz política das empresas.

Tendências nacionais

Nas tendências nacionais, Neves apontou para o aumento de consumo das classes C e D, do crédito pessoal e consequente crescimento econômico do país. Retratos desse cenário são demonstrados em pesquisas que mostram que 60 % dos brasileiros possuem computador em casa, 89 % celular e 55% automóveis.

“Está havendo uma importante reconfiguração econômica e social do Brasil, com o crescimento das cidades médias e sua participação no Produto Interno Bruto nacional como é o caso de Maringá, com o surgimento de novos polos no interior do país”, avaliou Neves.

No setor das telecomunicações, Neves apresentou pesquisas da massificação dos computadores e universalização das telecomunicações. Se no final da década de 90 eram 7 milhões de usuários na internet, em menos de 10 anos esse número ampliou para 63 milhões.

O consultor também apontou a expansão da produção de biocombustíveis, como o biodiesel e etanol, o aumento da pressão ambiental, através de leis, ongs e ações empresariais, abertura econômica e inovação tecnológica como fator de competitividade para as empresas brasileiras, como na agricultura, com a modernização da economia rural, mecanização e inovação que ampliam a produtividade agrícola brasileira.

Tendencias de consumo

Os cenários no mundo e no Brasil destacados por Neves fazem os empresários e empreendedores maringaenses refletirem sobre as tendencias dos consumidores a nível local. Segundo Neves o consumidor está mais exigente e as pressões pelos órgãos de controle estão maiores.

“O cidadão reclama mais os seus direitos, indo aos órgãos de proteção do consumidor com mais frequência e aumentando a demanda de certificação de produtos como isos, sendo uma boa oportunidade para as empresas de consultoria do setor”, assinala o consultor.

O crescimento de idosos no país (nos últimos vinte anos a expectativa de vida do brasileiro passou de 67 para 71,7 anos) é uma outra realidade que os empreendedores devem ficar atentos e aproveitar, principalmente o mercado de produtos e serviços estéticos, entretenimento, esporte e lazer. Em Maringá, segundo o censo do  IBGE de 2009, 12,2 % da população maringaense está na terceira idade.

Já para as empresas de marketing, Neves destaca o consumo precoce de crianças e adolescentes como uma grande tendência de mercado; o mesmo vale para “a recuperação da infância perdida” como afirma o consultor, com produtos de entretenimento e diversão dos adultos.

O investimento dos empresários no setor virtual é uma outra grande chave para o sucesso desses empreendedores. Dados sobre o comércio online comprovam que o brasileiro está cada vez mais comprando produtos na internet.

“O cidadão do mundo que mais tempo fica conectado na web é brasileiro. São em média 45 horas por mês ou 1 hora e meia por dia que um cidadão poderá estar fechando negócios nessa mídia”, destacou Neves lembrando que hoje a expansão do varejo online resulta na revisão de estratégias de marketing e oportunidades de empresas que atuam no setor de segurança da informação.

O aumento do número de pessoas que moram sozinhas fazem também   crescer o consumo de lanches rápidos, produtos enlatados e de produtos práticos. Nesse nicho, os empresários devem priorizar produtos que atendam essa demanda que requer boa administração de tempo e de tarefas, com produtos customizados de porções menores.

Ainda sobre o aspecto de grupos, Neves salientou a importância de nichos como o de portadores de necessidades especiais (no Brasil são 24 milhões de brasileiros) que movimentam mais de R$ 1 bilhão todos os anos; o de produtos religiosos, como na área de turismo e da música religiosa.

Todas as tendências apontadas por Neves acabam por implicarem em alguns desafios para os empresários maringaenses. Segundo o consultor, os empresários devem perceber o deslocamento do valor da produção para o conhecimento, focado nas pessoas e nos seus talentos. “Adaptabilidade, flexibilidade e eficiência é o que todo empresário, pequeno ou grande deve buscar”, concluiu o consultor.

Fonte: Assessoria PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top